Histórico

A história do Grupo Kallas teve início em 1983, quando foi fundado por seu acionista controlador, Dr. Emílio Kallas, Doutor em Engenharia Civil, pela POLI-USP, na cidade de São Paulo. A partir da fundação, a Kallas iniciou a construção de unidades residenciais no âmbito de programas da Caixa Econômica Federal, como o Plano de Ação Imediata para Habitação – PAIH e o Programa de Arrendamento Residencial – PAR, além de programas habitacionais como a Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo – COHAB.

Em meados dos anos 1990, mesmo com a baixa oferta de crédito ao consumidor final, o Grupo Kallas passou a atuar também no mercado de média e alta renda, fortalecendo a marca e desenvolvendo elevado e reconhecido padrão de qualidade Kallas. Nos anos seguintes, o Grupo Kallas diversificou sua atuação e passou a desenvolver empreendimentos como hotéis e shopping centers. O Grupo Kallas focou suas operações, primordialmente, no Estado de São Paulo. Como parte fundamental de sua estratégia, desenvolvendo um modelo de negócio integrado de toda a cadeia produtiva de seus empreendimentos, desde a prospecção até a entrega do imóvel, proporcionando crescentes ganhos de eficiência, controle, rentabilidade e qualidade em cada empreendimento.

Com o agravamento da crise na economia do país entre 2014 e 2018, o Grupo Kallas optou por diminuir o ritmo de lançamentos imobiliários, empregando esforços para ampliar e aperfeiçoar sua capacidade de construção (realizando obras para terceiros e/ou para empresas do próprio Grupo Kallas), prospecção e aquisição de novos terrenos. A Companhia acredita que a crise econômica, e a consequente queda no preço dos terrenos, permitiu um incremento do estoque em melhores localizações e com condições de pagamentos favoráveis. Essa habilidade permitiu o crescimento em um período em que a maioria das empresas do setor, enfrentaram problemas e se viram obrigadas a encolher ou até mesmo encerrar as atividades. A construção para terceiros foi a vertente que possibilitou que a empresa mantivesse seus colaboradores, enquanto outras incorporadoras e construtoras necessitaram executar corte de pessoal para prosseguir funcionando. Assim, mais uma vez a Kallas superou as barreiras impostas pela situação macroeconômica, e, por meio de seu corpo diretivo extremamente capacitado, conseguiu atravessar as adversidades e manter-se resiliente em meio às aflições de mercado. A Kallas é uma história com muitos exemplos de sucesso, capaz de enxergar além do mercado, e de compreender as pessoas a quem seu produto serve.

Com o crescimento e a diversificação dos negócios do Grupo Kallas, iniciou-se uma importante reorganização societária visando a eficiência e a organização dos focos de atuação. Como parte dessa reorganização, o Grupo Kallas identificou cada tipo de negócio, sempre voltado à incorporação e construção de negócios imobiliários. Em 2015 foi constituída a KV, imobiliária própria, com objetivo de focar mais na venda de estoques e dos futuros lançamentos. Em 2016, com o aquecimento do mercado econômico, a Companhia decidiu segregar suas atividades de incorporação em dois grupos: (i) Kazzas, focada no segmento econômico, e (ii) Kallas Arkhes, focada em empreendimentos de médio e alto padrão. Adicionalmente, em agosto de 2020, a Companhia constituiu a K`URB, sua empresa de urbanismo voltada para desenvolvimento de bairros planejados dentro do Estado de São Paulo. O objetivo do seu modelo de negócios é atingir o público residencial para a primeira moradia, contemplando toda a infraestrutura de comércio, lazer, e serviços necessários. Além disto, os projetos da Companhia serão criados para alinhar qualidade de vida e respeito perante o meio ambiente, tornando a sustentabilidade um dos focos de seu mais recente segmento do Grupo Kallas.

Em 2020 a Companhia entregou um volume de lançamentos na ordem de R$1,5 bilhão em VGV junto com um volume de vendas líquidas em VGV de R$814 milhões. Diante do cenário do COVID-19, a Companhia ampliou seus esforços para aumentar a representatividade de suas vendas digitais, que atingiram uma participação de 13% no volume geral de vendas da Companhia realizadas por meio da KV.